Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Canto Nativo
Apresentação Docimar Schmidt
Visita ao seu lar
Pastores da Igreja Quadrangular

Nascidos em março, trigêmeos com idades gestacionais diferentes recebem alta hospitalar

Publicado 18/05/2020 às 12:10
Fotos: Natieli Batistela HCPF

Casal de Palmeira das Missões, Cassiane e Cleber, com os trigêmeos nascidos no HC, de Passo Fundo  |  Fotos: Natieli Batistela/HCPF

A descoberta de uma gravidez é um dos momentos mais aguardados por muitos casais. A gestação traz consigo percepções, aprendizados e a mudança da rotina para a chegada do bebê. Para o casal Cassiane Barcelos Oliveira e Cleber Franco, de Palmeira das Missões (RS), essa descoberta foi bem intensa. Não apenas a família ganharia três novos integrantes, como eles tinham idades gestacionais diferentes: os irmãos Felipe e Eduardo foram concebidos cerca de duas semanas antes de Isaac. “É um caso muito raro e se chama superfetação”, explica a equipe médica. “A incidência é de um para cada cerca de 600 mil gestações.”

O nascimento deles foi no ultimo dia 12 de março, no Hospital de Clínicas (HC), de Passo Fundo (RS), mas precisaram permanecer um período na UTI Neonatal. E, finalmente, neste domingo (17), os pais e irmãos reencontram o caçula Isaac, último dos trigêmeos a receber alta, após um total de 65 dias de hospitalização.

Momento que a família se despede da equipe da UTI Neonatal

Momento que a família se despede da equipe da UTI Neonatal

“A recuperação de todos é uma grande conquista, isso demostra toda a tecnologia do Hospital para conseguir dar suporte a uma gravidez de duas idades gestacionais”, avalia o médico obstetra, Luiz Tadeu Barros Pereira, que realizou o parto e acompanhou um período da gestação.

Eduardo e Felipe nasceram com 1.405g e 1.390g, respectivamente, e receberam alta no dia 16 de abril. Isaac nasceu com 1.100g e, portanto, necessitou dos cuidados da equipe da UTI Neonatal por 30 dias a mais que os irmãos, já indo para casa com 2.030g. O médico pediatra do HC, Luiz Antônio Ecker, comemora o êxito de todo atendimento prestado e os trigêmeos terem ido para casa com saúde e plenamente recuperados das patologias com as quais tinham nascido.

Família completa

O desejo de aumentar a família acompanhava o casal Cassiane e Cleber há mais de oito anos. Após um procedimento de fertilização in vitro, receberam a notícia da chegada do primeiro filho, no entanto, no decorrer da gestação o embrião se dividiu em dois, gerando gêmeos univitelinos (idênticos). E as novidades continuaram chegando, como conta a mãe: “Esse embrião se dividiu em dois, nascendo os gêmeos idênticos Felipe e Eduardo, e, no mesmo mês, eu engravidei naturalmente de mais um bebê, o Isaac, que estava em outro saco gestacional, por isso possui uma idade gestacional menor.”

O pai, Cleber, diz que tudo valeu a pena. “Depois de 65 dias de UTI, é gratificante. A gente só tem a agradecer a Deus. principalmente, aos médicos que nos acompanharam e à equipe de enfermagem da UTI Neonatal por cuidar destes meninos como se fossem seus próprios filhos”, reconhece.

A despedida da equipe da UTI Neonatal foi emocionante e cheia de carinho. “Esse reencontro e agora poder estar com os três em casa é um momento de muita, muita felicidade”, completa a mãe, Cassiane.

PUBLICIDADE