Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
PUBLICIDADE

Mais de 90 mil gaúchos ainda não retiraram o Abono Salarial 2016

Publicado 26/10/2018 às 09:01

PIS/PASEP  |  O valor do Abono Salarial ano-base 2016 ainda disponível para os trabalhadores do Rio Grande do Sul chega a quase R$ 67 milhões. Ao todo, 92,6 mil pessoas com direito ao benefício ainda não retiraram o dinheiro no Estado. O prazo máximo para o saque nas agências bancárias é 28 de dezembro e não haverá nova prorrogação. Depois desta data, o recurso retornará ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Em toda a região Sul, 303,1 mil trabalhadores ainda têm mais de R$ 219 milhões a receber. O valor disponível em todo o Brasil chega a R$ 1,36 bilhão (veja tabela abaixo). São 1,85 milhão de trabalhadores que ainda não sacaram o benefício, o que corresponde a 7,56% do total das pessoas com direito ao abono de 2016.

Quem recebe
Pode receber o abono salarial ano-base 2016 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2016 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos (R$ 1.908) e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

A quantia destinada a cada pessoa depende do tempo que ela trabalhou formalmente em 2016. Quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de 1/12, e assim sucessivamente.

Trabalhadores da iniciativa privada devem procurar a Caixa Econômica Federal. A consulta pode ser feita pessoalmente, pela internet, neste link, ou pelo telefone 0800-726 02 07. Para servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, pela internet, neste link, ou pelo telefone 0800-729 00 01.

Tabela PIS_PASEP_261018_Fonte Ministério do Trabalho

Fonte: Assessoria de Imprensa do Ministério do Trabalho.

PUBLICIDADE